Sábado, 21 de Julho de 2018

12/4/2018 - Indaiatuba - SP

Município oferece alimentação escolar específica para patologias comprovadas




da assessoria de imprensa da Prefeitura de Indaiatuba

A alimentação escolar oferecida aos alunos da Rede Municipal e Estadual, incluindo as creches, mantém um cardápio diferenciado, seguindo os padrões dos demais cardápios, aos alunos com restrições alimentares por conta de patologias diagnosticadas por médicos, como: diabetes, intolerância à lactose, obesidade, dislipidemia, doença celíaca, alergias à corantes e conservantes e alimentos específicos. O Cardápio para Patologias é aplicado nas escolas de Indaiatuba desde 2007.

De acordo com o DAE (Departamento de Alimentação Escolar) a partir do laudo médico validando a patologia, a carta do responsável pela criança e o ofício da Gestora da Unidade Escolar solicitando a dieta específica, o cardápio de patologia começa a ser servido ao estudante que necessita. Para as escolas de período parcial é enviada uma marmita separada do hot box e para as escolas de período integral, há orientação do preparo diferenciado para o aluno com patologia, pois nessas unidades escolares as refeições são feitas in loco.

A secretária de Educação, Rita de Cássia Trasferetti, explica o processo para esse procedimento. “Dada a aproximação do início do ano letivo, os gestores das escolas orientam os responsáveis pelos alunos que têm recomendação de dieta especial solicitarem novo atestado ao médico responsável pelo acompanhamento do aluno, que avaliará a manutenção ou não da dieta especial. Este atestado deve ser encaminhado juntamente com a autorização da mãe e ofício da gestora da unidade escolar para a nutricionista RT do DAE tomar as devidas providências”, elucida.

O atestado seja ele de manutenção, suspensão ou alta da dieta, deve apresentar objetivamente o diagnóstico datado com carimbo e assinatura do médico responsável. As dietas especiais são mantidas mediantes apresentação do atestado médico a cada início de ano.

 

“Todo esse procedimento é para garantir que a saúde do aluno seja preservada e por isso o acompanhamento médico é indispensável. A alimentação especial é um direito do aluno que possui patologia e há 11 anos esse cardápio especial é oferecido em nossas escolas públicas, proporcionando nutrição na medida certa”, ressalta Rita.

Os cardápios são elaborados por Nutricionista Responsável Técnico obedecendo as diretrizes da Resolução nº 26 de 17/06/2013 do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação). Atualmente o município atende 90 alunos com algum tipo de restrição alimentar.

As refeições adaptadas além de oferecer uma ampla opção com carnes, legumes, saladas e frutas, também adicionam alguns itens especiais. Para os intolerantes à lactose, o leite integral é substituído pelo leite de soja ou leite sem lactose, outros alimentos incluídos nesse cardápio são: pão integral e margarina sem lactose. Para os alunos com obesidade e dislipidemia há leite desnatado, iogurte light, margarina light, arroz integral, pão integral e macarrão integral. Para os diabéticos, contém no cardápio iogurte diet, macarrão integral, arroz integral e pão integral. Para os alunos com alergia à corantes e conservantes é oferecido um cardápio in natura. Para quem possui doença celíaca há biscoito sem glúten e não há nenhum tipo de alimentos com glúten.



Comunicar erro nesta notícia

Se você encontrou erro nesta notícia, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente ao Indaiatuba Fácil.


Enviar esta notícia por email



Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.