Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019

Victor Barboza

Victor Barboza é fundador da GFC - Gestão Financeira Criativa e atua com Educação Financeira e Gestão Financeira de pequenos negócios

Ver todas as colunas

O “TOC Financeiro”



O Transtorno Obsessivo-Compulsivo, mais conhecido como TOC, é um transtorno psiquiátrico de ansiedade cuja principal característica é a presença de crises recorrentes de obsessões e compulsões. Conforme é apresentado no blog do Dr. Drauzio Varella, esta obsessão acaba aparecendo na forma de pensamentos, ideias e imagens, que invadem a pessoa insistentemente, sem que ela queira.

O paralelo pode ser feito com um disco riscado, que fica repetindo sempre o mesmo ponto da gravação. E a forma de se livrar disso é realizar o “ritual da compulsão”,  seguindo as regras e etapas rígidas.

São exemplos de TOC: medo exagerado de se contaminar, lavando as mãos o tempo todo; revisar portas, fogão ou gás diversas vezes antes de sair; arrumar determinado objeto o tempo inteiro, por ele não estar exatamente no lugar onde deveria estar; e por aí vai.

Como o próprio nome já diz, o TOC é um transtorno e, pode ser tratado com terapias e medicamentos. Porém, a ideia deste artigo não é discorrer sobre este tipo de transtorno em maior profundidade, mas sim, pegar um gancho para a criação de um hábito saudável para as finanças, o “TOC Financeiro”.

Saúde Financeira

Quando o assunto é saúde financeira, sabemos que boa parte da população está com sérios problemas. De acordo com levantamentos da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), o número de endividados está na casa dos 62 milhões. Além disso, de acordo com pesquisa da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), cerca de 58% dos brasileiros não têm investimentos.

Para mudar estes números, a boa educação financeira é fundamental. Mais do que isso, a substituição de hábitos não tão benéficos para o bolso, como o consumismo compulsivo, devem ser substituídos por hábitos como economizar, poupar e investir, focando em ter as finanças atuais equilibradas, e, em paralelo, um dinheiro trabalhando para a realização de objetivos, de curto, médio e longo prazos.

O Poder do Hábito

Porém, o que parece óbvio na teoria é muito mais difícil de ser colocado em prática. Além dos conhecimentos sobre finanças, é importante trabalhar também nos comportamentos e hábitos. De acordo com os estudos do cirurgião Maxwell Maltz, foi notado que o prazo para formação de novos hábitos é de 21 dias. E no livro O Poder do Hábito, também através de estudos, o autor Charles Duhigg mostra que, na verdade, não se cria novos hábitos do zero, mas sim, transforma-se outros hábitos já existentes. E, para que isso se concretize, é importante seguir o chamado “Loop do Hábito”, no qual deve-se ter uma Deixa, que passará por uma Rotina, em busca de uma recompensa.

Portanto, na esfera das finanças, deve-se buscar entender quais são os hábitos que estão prejudicando o bolso, qual novo hábito pode entrar no lugar, e, quais serão as recompensas que ele poderá gerar.

O “TOC Financeiro”

Pensando nisto, para fortalecer o hábito de poupar, ou seja, guardar dinheiro, e, ver o dinheiro trabalhar, rendendo, para a realização de objetivos, criamos o “TOC Financeiro”. Basicamente, o TOC seria de olhar o valor na conta corrente e não gostar de ver números quebrados. Ou seja, ao invés de ver R$ 42,30 na conta, a pessoa prefere ver R$ 40,00. Ao invés de ver R$ 1.317,50, a pessoa prefere ver R$ 1.300,00, por exemplo.

E o que fazer para o número ficar redondo? Comprar algo no valor? Não! A resposta é POUPAR!

Mas é impossível investir pouco dinheiro? Sim! Ai entram nossas sugestões: Caderneta de Poupança do seu próprio banco (que não rende tanto, mas para essa finalidade de poupar vai bem, já que é isente de impostos e taxas), o “Dinheiro Guardado” da NuConta ou o Diin possibilitam que esses poucos reais possam ser guardados e tenham os juros trabalhando a seu favor, rotineiramente.

Com o Diin, por exemplo, você pode criar alguns objetivos, como se fossem cofrinhos. O valor mínimo para investir é de R$ 1, e, este pode ser enviado via transferência bancária ou boleto (para escolher, verifique as taxas para ver se você não vai gastar mais pagando taxas do que realmente investindo).

E para concretizar isso como um hábito, crie uma rotina, definindo se o investimento será feito diariamente, ou, uma vez por semana. No começo, é importante marcar isso na agenda para não esquecer. Por exemplo, você pode marcar que todo sábado de manhã você entrará em sua conta bancária e fará esse investimento.

A princípio, pode parecer pouco dinheiro e que isto não fará diferença, mas como diz o ditado, “de grão em grão a galinha enche o papo”. O “TOC Financeiro” tem contraindicações. Os valores são baixos, estarão sendo separados para serem utilizados futuramente, e, é um hábito que pode servir de incentivo para aqueles 58% que não investem começarem a investir.












Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.