Segunda-Feira, 24 de Junho de 2019

Vander Christian

Vander Christian é apaixonado pelo mundo da leitura e escrita. Autor dos romances KARINA, PASSADO E PRESENTE e DUAS VEZES PAMELA MONTEIRO.

Redes Sociais:





Últimos artigos

Ver todas as colunas

Malícia Para Jogar



Churrasco é algo interessante. Já começa com a crise financeira, ela deixa as pessoas meio receosas de inventar algum tipo de comemoração. A pessoa tem vontade de organizar um churrasco, mas não quer gastar tudo sozinha. O desafio de convencer alguém a ajudar com algum dinheiro é difícil, precisa de coragem e determinação. Superado esses desafios, é só curtir o churrasco e deixar a hora passar. Com todos reunidos, fica até difícil saber quem não ajudou em nada ou quem está bancando o churrasco sem a ajuda de ninguém.

Confesso que não me sinto muito tranquilo em reuniões com churrasco. E nada tem a ver com o fato de ter que ajudar a pagar alguma coisa. O desconforto está ligado com os jogos, que vem depois do banquete. Nunca fui bom em jogos. Sou uma negação no dominó. Na sinuca, o meu desempenho também não é dos melhores. Jogos de cartas nem sei como começar a jogar. Então, só me resta ficar separado da maioria, que não vê a hora de começar uma partida. Já até tentei me socializar com o pessoal dos jogos; não obtive resultado satisfatório. Primeiro tentei o dominó, sempre ouvi dizer que era fácil de jogar, cheguei até a acreditar que era; mudei de ideia rapidamente, quando um dos meus primos, todo cheio de si, falou para o rapaz que estava do meu lado:

— Você pode jogar, o Vander não tem essa peça.

Fiquei sem entender nada. Olhei para o meu primo e tive certeza que ele estava vendo as minhas peças, mas como poderia ver elas, se estavam tão bem escondidas?

O jogo continuou. A partida não estava nada boa para mim. Minutos depois, foi a vez do rapaz, ao meu lado, gritar:

— Pode jogar, Vander! Estou esperando justamente essa peça para fechar o jogo!

Joguei. O rapaz deu dois tapas na mesa, enquanto meu primo lamentava a derrota. A vitória do rapaz parecia ser minha culpa, mas o que eu podia fazer? Só tinha aquela peça para jogar!

Disseram que eu não tinha a malícia do jogo. Deve ser isso mesmo. Outro dia resolvi arriscar na sinuca. A partida era em dupla. Em determinado momento, a bola ficou próximo da caçapa. Era só eu “matar” a bola e a partida estava ganha.

— Fica tranquilo — disse meu adversário para o companheiro. — O Vander não consegue “matar” essa bola.

Não matei. Perdemos a partida. Não tenho malícia para jogar. Decidi que o melhor a fazer depois de saborear um churrasco, é deitar numa rede e descansar.

Às vezes é preciso só isso: deitar, descansar e deixar de tentar entender certas coisas. 

 

 

Obrigado pela visita!

 

COMECE A LER MEUS LIVROS GRATUITAMENTE:

 

Duas Vezes Pamela Monteiro 
http://amz.onl/6kNQLOT

 

Passado & Presente 
http://amz.onl/bSJOgdX

 

Karina 
http://amz.onl/2zZb89q

 

Até breve,

 

 












Dogus Comunicação

Sobre a Dogus Comunicação  |   Política de Privacidade  |   Receba Novidades  |   Acesse pelo Celular

Melhor Visualizado em 1200x900 - © Copyright 2007 - 2018, Dogus Comunicação. Todos os direitos reservados.